Desenhos animados fora dos rótulos e clichês

Por sempre gostar de animações, esse ano comecei a acompanhar aquelas que são mais populares. Eu já assistia a Hora da Aventura há algum tempo, mas agora coloquei títulos novos na minha lista como Steven Universo, Star vs. As Forças do Mal, O Segredo Além do Jardim e Um Verão de Mistérios. É muita coisa para acompanhar, ainda mais agora que preciso equilibrar o meu tempo livre entre seriados, filmes e diversas outras coisas. Mas acho difícil deixar de lado algo que é do meu interesse, e que precisa ser analisado ao invés de, simplesmente, julgado.

Desenhos existem para o entretenimento, e isso é inquestionável. Alguns assumem uma postura mais educativa, podem até servir para reforçar ou enfraquecer ideias. É óbvio falar isso, mas acho importante reforçar que os adultos são capazes de fazer análises mais objetivas sobre o que assistem. Crianças possuem uma percepção incrível, ainda mais por estarem com os seus valores em construção. Portanto, é mais fácil para nós notarmos o que os desenhos desejam transmitir; e estou contente com o que tenho acompanhado na indústria televisiva da animação.

O que mais chama a atenção é como os personagens mudaram. Antes eles eram criados para corresponder a um determinado arquétipo. O personagem principal masculino precisava se comportar de um jeito Y, a feminina de um jeito X, com uma formula exaustivamente repetida. Agora, isso está totalmente diferente. E é muito bom! Vejo essa mudança em todos os desenhos que listei, mesmo que de formas muito sutis. Em Steven Universo, por exemplo, o protagonista é um garoto sensível, que não precisa lutar ou ter poderes destrutivos para chamar a atenção do público-alvo. Por outro lado, a protagonista de Star Vs. As Forças do Mal deixa claro que não é uma princesa indefesa, mas que sabe lutar, e não poupa os poderes de sua Royal Magic Wand (sua varinha mágica) na hora de enfrentar seus inimigos.

Por mais que ainda existam alguns clichês, eles estão em transformação. Finn, o protagonista de Hora da Aventura, é o típico personagem que adora lutar e resolver quase todos os seus problemas com o uso da violência. Não quero limitar o meu texto a spoilers, por isso os meus exemplos serão bastante superficiais. Durante algumas aventuras, Finn, caracterizado como durão, mostra um lado extremamente sensível, chorando em situações de dor, tanto física quanto emocional, além de mostrar muito conhecimento para resolver diversas peripécias ao longo da série. O protagonista, que antes correspondia somente ao arquétipo Y, começou a ganhar algumas características do Y, Z e vários outros.

“Ela não é má. Ela é apaixonada.”

Alguns desenhos mais antigos mostram traços dessa transformação. Quem acompanhava As Meninas Super Poderosas sabe muito bem disso. Nesse, temos três irmãs com personalidades distintas, evidenciadas até mesmo pelo nome de cada uma, mas com uma coisa em comum: usam a força bruta para derrotar os vilões. Lógico que em alguns momentos elas encontram outras soluções, e precisam transgredir os seus clichês para mostrar que são maiores do que eles próprios. Com toda certeza, existiram outros desenhos antigos que também fizeram o mesmo, e gostaria de, algum dia, ter a oportunidade de conhecê-los.

Esse movimento de quebra de esteriótipos narrativos me cativa, cada vez mais, a assistir mais animações. Elas deixam claro que não foi apenas o perfil das crianças que mudou, mas também da equipe de criação dos programas infantis. A ideia agora é de alterar a fórmula para continuar atraindo os espectadores mirins, além de tornar as produções interessantes para o público mais velho. É uma mudança positiva, já que expande os horizontes quando percebemos que não existem mais rótulos para nos prender. Talvez ainda seja apenas em alguns desenhos, mas a transformação começou,e devemos acompanhá-la.

Canceriano, estudante de jornalismo e apaixonado por quadrinhos e animações. Coisas simples para saber ao meu respeito além do meu nome, que, por acaso, é Roberto Barcelos. Contudo, acho que são de grande importância para entender o perfil dos meus textos.

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado. Áreas requeridas estão marcadas *