Crítica – “O Artista do Desastre”

Quem consome produtos artísticos-culturais com certeza tem o seu próprio guilty pleasure. Seja um filme, uma série, um álbum de música, um livro ou até mesmo um artista; existem diversas coisas que mesmo sendo visivelmente muito ruins, gostamos da mesma forma. Considerado como o “melhor pior filme do mundo” The Room (2003), de Tommy Wiseau, …

Crítica – “Mindhunter”

Mindhunter, nova série da Netflix, é uma experiência sensorial. Assim como fez em Seven: Os Setes Crimes Capitais (1995), David Fincher, diretor do longa que produz o programa e comanda a direção de quatro episódios, conjuga elementos de gêneros, principalmente suspense e mistério, em uma produção seriada de investigação policial totalmente diferente do que se vê …

Crítica – Thor: Ragnarok

Desde que a Marvel iniciou a construção do seu coeso universo cinematográfico, o Thor nunca foi propriamente representado. Seus dois primeiros longas individuais nunca conseguiram reproduzir a riqueza histórica e cultural que poderia ser aproveitada nas telas, ao mesmo tempo que as participações do herói nos filmes dos Vingadores servissem somente para fazer as devidas …

Crítica – “Dunkirk”

A representação cinematográfica de grandes acontecimentos históricos acontece desde os primórdios do cinema. De todas as possíveis fontes para adaptação, a Segunda Guerra Mundial é, talvez, a que tenha ganhado mais revisitações na história do cinema. Filmes como O Resgate do Soldado Ryan (1998), Corações de Ferro (2014) ou Até o Último Homem (2016), trabalham …